Skip to content

Gratidão²º¹¹

Dezembro 31, 2011
tags:

Jurava que o alívio seria o sentimento predominante nesse momento.

Mas não, o que predomina é gratidão.

Por todo o aprendizado, por todas as conquistas, por todo apoio; pelas escolhas que fiz e pela confiança crescente em todas as que ainda serão feitas.

Esse é um momento em que tive retorno (inclusive o meu) e também a chance de poder retornar.

Se surpreender consigo e com a vida são algumas daquelas coisas que fazem com que o caminho valha a pena…

Formulário

Outubro 7, 2011

Criação de formulário para interação com o usuário, preenchimento de formulário para envio de informação, formulário composto de fórmulas para a resolução de cálculos matemáticos, com uma complexidade (para mim, é claro), que jamais poderia supor que seria capaz de resolver, quem dirá gostar…

O desenvolvimento leva tempo, exige disciplina e o entendimento vem aos poucos conforme o caminho é percorrido.

Tanto nos programas quanto nas contas, a questão é a mesma: objetividade e visão.

 

 

Como em toda e qualquer circunstância em que se queira um bom resultado, surgem as perguntas:

  • O que está sendo pedido?
  • Qual é o objetivo?

E em se tratando de estatística, fica ainda mais curioso:

  • Nesse evento, qual é o sucesso?

Ao observar o programa ou o problema, deve-se ter em mente o que se procura e o resultado a ser alcançado. É preciso compreender o contexto e a utilidade de todo o processo, pois um raciocínio não é igual ao outro. Coisas inesperadas podem acontecer e com isso, pode ser necessário uma condição a mais em um programa ou um cálculo extra para resolver um problema.

Segundo minha professora de matemática e estatística, as provas deveriam ser com consulta e argumenta que isso não é impedimento para a boa avaliação do aluno. Sabe o que ela diz?

“A vida acontece com consulta. Não adianta ter o que consultar se não sabe como e onde utilizar. É preciso saber consultar.”

E para isso precisamos saber com o que estamos lidando e o que estamos buscando.

Onde esse texto não se aplica?

A imagem:

“Consulta” – Ps cs3

Árvores

Agosto 19, 2011

Recentemente fui questionada acerca da área que desejo abraçar no que se refere ao que venho estudando.

O início foi motivado pela Naturoterapia, conforme o estudo se desenvolveu surgiu o Web Design e este por sua vez me levou à faculdade de Sistemas.

Havia a certeza da sala de aula, a vontade de compartilhar e o prazer em pesquisar… Continuo com a vontade e o prazer, porém descobri que a vida acadêmica não é meu caminho, ao menos por enquanto.

Na ânsia de compreender, deixei de ver as árvores para me focar na floresta.

É chegado o momento de buscar a abrangência no detalhe, para que seja possível a percepção das partes que compõe o todo no qual me inseri.

Não só nos estudos…

 

A imagem:

“Árvore” – Ps cs3

Tem novidades em “Antes & Depois”

Acaso

Junho 28, 2011
tags: ,

  

 “… sim, pois o acaso, o livre arbítrio e a necessidade, de modo algum incompatíveis, todos trabalham juntos, a entretecer. A urdidura reta da necessidade não se desvia de seu curso final – cada vaivém seu, de fato, só tende a isso; o livre arbítrio sempre está livre para manejar a lançadeira entre fios determinados; e o acaso, embora limitado em seu jogo pelos fios retos da necessidade, e guiado lateralmente em seus movimentos pelo livre arbítrio, embora assim regrado pelos dois, rege alternadamente cada um deles: e pertence-lhe o golpe final, que configura os acontecimentos.”

Trecho extraído de “Moby Dick” – Herman Melville

O acaso tem vários nomes e, dentre todos que conheço, o que prefiro é sincronicidade.

A imagem: “Tempo”

(Ps cs3)

Imagem base: Relógio

Tem novidades em “Imagens & Tutoriais”

Insight

Junho 11, 2011

Razão e disciplina aliados a um desespero por explicar, entender e comprovar. Tudo perfeito e perfeitamente empregado no lugar errado…

Sempre tentei explicar o inexplicável, descrever o indescritível e controlar o que não deve ser controlado.

Num ímpeto de dar vazão ao raciocínio que é sentido, em função de sentimentos que não foram elaborados, usei de método demais onde não era preciso e me abstive de usar onde era imperativo.

Me afastei do que poderia me dar imenso prazer e me privei de boa parte do prazer que estava disponível no caminho que havia escolhido.

Quero todo o prazer que posso ter.

Que as coisas que podem ser explicadas, analisadas e comprovadas sejam minha fonte de prazer, para que assim, eu consiga extrair toda doçura e deslumbramento de todas as outras que não podem…

Depois de experiências tão incomuns, tudo isso me ocorreu estudando estatística e às vésperas da prova. E há quem pense que estudar é chato…

O brinde da vez vai para a matemática e para as novas experiências.

 

A imagem:  “Véspera”

Véspera da prova, véspera de muita coisa…

(montagem feita no Ps cs3)

As imagens originais:

Mulher  e  Bosque

Tem novidades em “Imagens & Tutoriais”

 

 

 

 

 

 

 

Performance

Maio 24, 2011

A primeira vez que me deparei com essa questão foi após, aproximadamente, seis meses de aula de dança flamenca.

Estudava com paixão e já começava a colher alguns frutos. A percepção do rítmo se mostrava mais precisa, a expressão começava a surgir e a coordenação já estava bem desenvolvida.

Lembro como se fosse hoje.

Tive um professor maravilhoso que me disse que não bastava acompanhar os compassos e estar no tempo, que não bastava sentir com intensidade… Ele dizia que era preciso expandir, para que todos os que me vissem dançar pudessem sentir o que eu sentia.

Nesse dia ele me mostrou que eu deveria me voltar para a técnica, pois era dela que viria a base para que eu pudesse criar e encontrar meus elementos de expansão.

“Deve ser ágil, limpo, preciso!!! Não gaste energia desnecessariamente, seja objetiva em seus movimentos!!!”

Em um daqueles momentos especiais em que o tempo realmente parece ser circular, ouvi exatamente a mesma frase da minha professora de Lógica de Programação sobre os códigos que tenho montado.

Chegou novamente o momento em que se faz necessária a atenção nela… Na performance.

Me agrada a idéia de deixar de criar condições desnecessárias, de ser mais objetiva na resolução, de usar menos memória e exigir menos do processador, inclusive simbolicamente falando.

Um brinde à disciplina e à paixão pelo desenvolvimento das habilidades!

A imagem:

“Taconeo” – segundo consta no local em que consegui a imagem dos sapatos, eles pertencem à Cristina Hoyos que, em se tratando de flamenco, possui uma performance que me leva às lágrimas… Fantástica!

(Ps Cs3)

Concatenação

Maio 12, 2011

Quando pensamos em acrescentar alguma coisa, normalmente pensamos em somar.

Descobri recentemente que o que desejo é concatenar… O conceito é simples.

Quando somo (meu)2+(seu)2, temos 4. Onde foram parar o meu dois e o seu dois? Quando concatenamos (meu)2 e (seu)2, vemos surgir um 22. Está vendo seu número ali?

E o melhor, caso eu tenha um 2 e você tenha um ‘a’, somar seria impossível mas, dá para concatenar… Formaríamos um belo 2a!

Para se chegar a cada um dos elementos, cada um passa pelo seu próprio processamento, com todas as condições que se fizerem necessárias, no mesmo programa, porém individualmente.

Achei lindo isso…

Todos os elementos juntos no mesmo programa, passando por tudo que é necessário para se chegar ao resultado individual, para então acontecer a concatenação, que nada mais é que a apresentação de todos os resultados juntos formando o resultado final . Adorei!

A imagem:

“Concatenação” – fiz pensando no assunto, várias imagens trabalhadas individualmente para dar forma à imagem final.

(Ps cs3)

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.